sábado, 12 de abril de 2008


Sempre sonhado, aquele mundo tornou-se realidade. Tive a mesma sensação de, quando criança, pela primeira vez, pude pilotar uma bicicleta sem rodinhas auxiliares. Estava louco atrás de tudo, queria conhecer tudo em pouquíssimo tempo, queria ser, além de um espectador, um daqueles homens que olhavam para tudo e tinham aquilo como uma coisa normal.


Os carros, os boxes, pneus, bombas de combustível, correria e muito barulho. Ahhh, se esse dia fosse todo dia. Se todo dia pudesse ter esse magnetismo, seria tudo tão diferente.


Os sons, a luminosidade, cada detalhe, tudo marcante ao extremo, viraram tatuagem.


Podia sim botar tudo a perder, me enlouquecer e, num dia qualquer, do nono andar voar.


Quero esses dias todos os dias, quero essas horas na minha manhã. Quero esse sol de hoje em diante junto da chuva. Quero a chuva junto do sol.

Um comentário:

Rodrigo Costa disse...

Passa vontade nos outros mesmo, passa...