sábado, 20 de setembro de 2008

As idéias correm soltas, os pensamentos, vagam, todos vãos. Dúvidas e incertezas colocam-me contra a parede e aquela racionalidade instintiva sempre me dá uma saída.

Um conjunto de experiências, uma reunião de genes, um ser único, humano. O fenótipo de meus pais, um genótipo inigualável, tão único e especial quanto indiferente.

Parte do coletivo mundial, peça fundamental da existência e apenas mais um nesse mar de pecinhas dum brinquedo de montar com infinitas combinações que, quase sempre, se encaixam.

Novas portas sempre à nossa frente nos incitam a descobrir, inventar, reinventar e sempre desafiar o incerto, tantas vezes perigoso.

Agradeço à meus pais, amigos e todos à minha volta por quem sou, oro à Deus por mais um dia.

A vida não nos impõe desafios, nos ensina a optar e enxergar novas oportunidades onde muitos vêem apenas o fim da estrada.

Idéias soltas e pensamentos vãos, idéias novas e pensamentos firmes, frutos da mente de um jovem idealista.

Um comentário:

João Gabriel Rodrigues e Figueiredo disse...

Eu gosto das suas comparações. Muito boas. E você tem um quê de escritor. Sempre que atualizar me manda o link.

Um abraço.

João Gabriel Rodrigues e Figueiredo.